Faculdade: quero mudar de curso!

Independente do curso e da instituição desde o primeiro pensamento sobre trocar de curso superior, não foi fácil. Você não tem como ter certeza alguma do futuro e a ansiedade é grande.

A opção por um curso e o começo da faculdade são simples, quando você está insatisfeito, a ideia de parar ainda assim é muito complicada. A desistência envolve outras pessoas, principalmente a família, o investimento realizado: tempo, dinheiro, mudanças de vida e o grande obscuro futuro. Surgem as opiniões extremas: alguns amam o curso e a profissão e outros odeiam, com tamanho arrependimento que desmotivam qualquer um.

E aí?

É importante pensar:

  1. Cada um tem uma experiência de vida, seu próprio jeito de pensar e sentir, ver e viver a vida. Não só estudos contam para o bom desempenho em um curso, inclusive na própria profissão.
  2. Cada pessoa têm suas prioridades: dinheiro, fama, família, amor… Algumas carreiras exigem dedicação praticamente exclusiva ou então disponibilidade para trabalhar mais de oito horas por dia, viagens etc. O que você quer para o seu futuro além da profissão? Filhos e ficar perto da família? Viajar o mundo e conhecer coisas diferentes sempre? Sua vida pessoal deve ser relacionada ao seu perfil profissional, e sua profissão deve ser um complemento para sua felicidade, não um impedimento.
  3. Cada pessoa tem um conceito diferente de ser bem sucedido; para mim é importante estar perto da família, sentir-se bem e gostar do que faz; para outros é crucial o dinheiro, o crescimento na profissão, o reconhecimento etc. O trabalho é reconhecido de maneiras diferentes e muitas vezes o status de uma profissão ou empresa não é realmente coerente com o salário ou a felicidade no cargo ou ambiente de trabalho.
  4. O sucesso ou fracasso sempre será relativo à sua dedicação. Muitas pessoas têm oportunidades e não alcançam sucesso profissional, enquanto outras, contra todas as adversidades conseguem sucesso inimaginável. Exemplo disso é que muitas pessoas crescem mesmo em meio à terrível crise financeira que estamos passando.
  5. Não existe uma regra sobre a mudança de curso: “Outro curso na mesma área? Até qual período vale a pena mudar?” por isso a decisão é tão pessoal, é necessário pensar no presente e planejar o futuro, o que deseja para si.

Eu mudei de curso!

Eu abandonei dois cursos: um por opção e o outro pelas adversidades. Agora iniciei meu terceiro curso superior.

Depois de dois semestres no curso de Engenharia de Produção, finalmente percebi que não era para mim, pelo curso – tanta matemática e física – e pela profissão. Trabalhava com engenheiros de diversas áreas e percebi que não era a profissão que queria. Para mim foi importante pensar no futuro com a profissão e minha vida pessoal/social. Ouvi sim diversos conselhos e contei com o apoio da família, mesmo assim levei um tempo para concretizar a decisão.

Criei muita coragem e fui para BH estudar Publicidade & Propaganda. Foi uma grande mudança: encontrar uma república, montar um quarto etc. Mas antes de concluir o primeiro semestre em BH e na PP a descoberta da depressão me fez deixar a capital e consequentemente o curso e voltar para casa. Não amava morar em BH, mas gostava muito da minha república e das companheiras; a correria que minha vida tornou-se – acordar às 5h dormir às 23h, viajar de ônibus para trabalhar, ir direto para a faculdade e tentar manter a criatividade ativa, viajar para casa no fim de semana, sim, era muita coisa – foi difícil demais para mim.

Eu gostava muito do curso, da faculdade, do conteúdo, tudo!

Mas eu precisava cuidar de mim. Não foi exatamente uma decisão e sim uma necessidade, infelizmente depois eu não tive condições de voltar para BH e continuar o curso. Quando fiquei melhor, comecei um curso perto de casa, para ir devagar comigo mesma. Outra coisa que influenciou foram as amizades criadas em ambos os cursos: tenho duas amigas incríveis do curso de Engenharia e admiro muito os futuros publicitários que ainda acompanho pelas redes sociais.

Por experiência, garanto que não é fácil deixar e/ou mudar de curso, e também não é fácil viver sem realizar seus sonhos e buscar felicidade em todas as áreas da vida. É importante pensar sobre, pesar todas as informações e decidir por si afinal, é você que lida com todas as consequências. O melhor conselho que recebi foi o seguinte: não considere que o tempo, o dinheiro foi perdido, todo aprendizado vai com você. Mesmo fazendo curso em outra área, deixando exatas por humanas, o que aprendi foi realmente útil profissionalmente e até mesmo no Blog. Conheci instituições, metodologias de ensino, diferentes didáticas, convivi com pessoas muito diferentes – aprendi com elas também! E me desenvolvi como pessoa também e toda a experiência vivida faz diferença para mim.

Valeu a pena mudar de curso? Sim! E por fim, descobri que era mais comum do que eu pensava – no meu primeiro curso – optar por outro curso e mesmo em outra área. Conheci pessoas que mudaram de curso na metade de um curso e até mesmo na fase final. Então, o que vale é sua decisão.

E você, qual o seu curso? Você já mudou?

Deixe uma resposta