Até agora, você superou seus piores dias

Todos os dias importam, afinal, a felicidade é o caminho e não o destino. Mas nessa frase, parece sempre desaparecer a alegria e a espontaneidade de ser feliz, substituídas pela obrigação de ser e estar feliz.

Se você está aqui hoje, você superou 100% dos seus piores dias, pensamentos e vontades. Assim como eu superei os meus. E aí, como vamos superar mais esse?

Especialmente hoje, eu adoraria ter a resposta para essa pergunta – que nem o Google consegue responder – “como sair da bad?”

Sinceramente, eu não sei. Eu. Não. Sei. E algumas pessoas acham que se você superou uma bad, já possui a fórmula mágica para se livrar disso e só ser feliz daí em diante. HAHA! Quem dera! Eu gostaria, de verdade, que fosse simples, o que não é, mas não é impossível. E por isso, vale lembrar que: você superou outros dias, e é capaz de superar esse também!

Os dias ruins são sempre nublados, mas por dentro da gente. Sabe quando você chega na janela e vê um dia ‘indefinido’ e tem por um segundo uma interrogação sobre o dia, seus planos, a roupa, onde vai, como vai e tudo mais? É assim. Por dentro. Sobre a gente mesmo. Intensamente. O tempo inteiro.

Não existe um padrão, lista ou modelo perfeito para sentir-se melhor. Se você encontrar por aí alguma dica de como sentir-se melhor, e quiser testar, comece permitindo-se. Permita-se tentar, testar, e principalmente: gostar ou não. Pode ser legal ou não, e se não for, é apenas algo que não se adaptou a você. Tudo bem.

Permitir-se talvez seja uma dica excelente para superar os dias ruins, mas só talvez.

Muita gente costuma falar da importância de permitir sentir-se triste/mal/pra baixo ou apática, particularmente, acho isso válido quando você se surpreende com uma “bad pontual”. Se você tem esse sentimento constantemente é importante procurar ajuda e válido se esforçar para fazer coisas que te ajudem a se sentir melhor.

Sentir, quantas vezes usei essa palavra aqui? Quando nos sentimos mal, as pessoas têm inúmeros conselhos, falas, ideias e sugestões, mas quem pode permitir-se é somente quem está sentindo (ou não). Os sentimentos que surgem nos dias ruins não necessariamente representam a visão que a pessoa tem da vida e de si mesma, o negativismo e até a apatia não definem a pessoa. É um momento, é um estado, e é nosso. É de quem sente. Muitas vezes inexplicável e incompreensível também (“Mas ontem você estava tão bem, tão animada”).

Superar um dia ruim não depende das pessoas ao redor, obviamente elas podem e ajudam muito! Estar perto de quem te ama em um mau dia já faz diferença. E as vezes, ficar quietinha, mudar os planos e descansar pode ajudar. Escrever, comer uma boa comida, ou fazer o inverso: estimular-se com uma agenda cheia, depende do que você gosta de fazer e de como está se sentindo.

Só não se esqueça: você superou todos os dias ruins até aqui e vai superar mais esse!

1 comentário

  1. Rafaela says: Responder

    Melhor blog. Melhor pessoa . Escritora nata. Não faz esforço algum para ser assim, perfeita. Me encanto com sua pureza ao discorre cuidadosamente cada palavra, pensando assim em que vai ler. Você vai longe.
    E eu quero Companjar esse seu caminho iluminado me deleitando com cada texto seu.
    Sorte
    Luz
    Sucesso
    Amor
    Força
    Você merece o mundo menina!!!
    Beijos
    Rafa

Deixe uma resposta