Miserável

Cada lágrima que corria minha face tinha um destino certo: cortar meu coração. Eu não sabia, não sentia a respiração, nada. Sem forças para erguer as pálpebras, tudo que via a minha frente era água, em meus próprios olhos. Os lábios feridos das mordidas, nunca fui muito paciente, já não se descolavam. As lágrimas já tinham caminho, agora seguiam o curso das primeiras, mas meu rosto permanecia quente, queimando-as. Eu queria que você me pedisse para não chorar, eu sei o que estamos deixando, e isso dói. Mas vamos voltar a realidade, deixe aquele brilho que eu adorava nos seus olhos, por mim. Eu vou continuar, eu posso viver sem você, mesmo que assim eu fique miserável ao máximo, de qualquer maneira eu vou crescer, conhecendo meu extremo. Eu sei que sou boa para algo, só não achei o que ainda, eu preciso de você, mas, essa será uma longa noite. Serei excelente com você novamente, não precisará me machucar, eu pedirei para que você se vá. Eu não cairei, esta será uma noite longa. Deslizarei pela pista, essa noite, uma longa noite.

Deixe uma resposta