#NaMinhaOpinião: Intolerância

Posso ser a diferentona nos dias de hoje por gostar de internet e nunca ter xingado ninguém não gostar de polêmicas, mas é isso, eu não gosto. Porém, em alguns momentos é difícil não posicionar-se e como tenho aprendido e crescido muito para entender de verdade que cada um pode ter a própria opinião sem precisar haver ódio ai, vamos lá?!

Que existe intolerância por aí todo mundo sabe, e bom, algumas intolerâncias são boas, sim, pasmem eu disse isso! Pense bem, se você vê uma cena absurda como uma pessoa sendo assaltada ou agredida, você tolera aquilo? Fica indiferente? Se não, então parabéns! Perceba que esta é uma intolerância boa: a violência não pode ser tolerada realmente, o problema é quando a discordância de ideias, pensamentos e crença torna-se intolerante e gera violência, seja verbal, emocional ou física.

Os temas que geram intolerância são diversos e as reações também e infelizmente a sociedade está dividindo-se e as pessoas são rotuladas de acordo com uma ou duas ideias que aprovam ou não. Um exemplo é excluir das suas redes sociais uma pessoa que anteriormente você adicionou e que tem uma visão política oposta. Lembra aí um link que rodou nas redes sociais para você ver seus amigos que curtiam tal página. Mas será que eu preciso excluir uma pessoa que tem ideias diferentes das minhas? Eu não consigo lidar com a diferença de visão que temos? É algo simples e na maioria das vezes não violento, mas não é também uma abertura para futuramente não tolerar qualquer discurso dessas mesmas ideias?

Acredito que todo mundo saiba que desenvolvemos linhas de pensamento, sim, você não apenas pensa, mas você teoriza aí dentro, e quando você encontra alguém que se opõe à sua linha de pensamento, isso pode crescer e vocês podem encontrar pontos positivos e negativos em ambos discursos e evoluir para algo melhor. Mas a sociedade tem negado essa oportunidade, as pessoas que pensam do jeito A se reúnem e os objetivos delas, o que defendem e desejam é deixado de lado para convencer aqueles que pensam do jeito B a mudar ou aceitar, e vice versa. O tempo e esforço que deveria ser gasto com a evolução do pensamento e a implantação de ideias boas para todos é perdido em discussões sobre quem está certo e quem está errado.

Mais importante que falar é fazer, seguir na contramão e ser tolerante, respeitoso com o outro. Acima das discussões colocar em prática aquilo que está ao alcance de todos: viver em paz com o outro, independente de quem seja. Respeitar o outro não significa apenas não agredir, significa também permitir que ele pense e aja diferente, sem querer impor a ele consequências por isso. Tolerar é admitir nos outros, maneiras de pensar, de agir e de sentir diferentes ou mesmo diametralmente opostas às adotadas por si mesmo.

E você, qual a sua opinião?

Deixe uma resposta