O efeito Blog

Já faz quase 10 anos que eu tenho blog. Sim, são quase 10 anos! Mas só em junho de 2016, que o blog passou a ter o meu nome.

Foi mais uma das minhas mudanças, que impactou no blog e trouxe o meu nome para a blogosfera. Antes, eu desbravava meus próprios sentimentos no Goiaba says, Memórias de Dalila, Meu para Sempre e Estranho Paraíso. Se você não conheceu meus outros blogs e minha evolução até aqui, todos os textos estão disponíveis aqui! Só peço paciência, ainda estou organizando mais de mil posts! 😉

As pessoas mais próximas, que antes só sabiam que eu gostava de escrever e de internet, descobriram que eu escrevia na internet e conheceram minha versão escritora/blogueira 😂! Desde então, quando publico os conteúdos no blog há um efeito imediato: mensagens no WhatsApp, comentários no Facebook ou na rua. Claro que vocês poderiam também comentar nos textos, para que eu possa saber mais sobre o que gostam de ler, qual a opinião etc. 😍

Mas a questão passou a ser, o conteúdo que produzo para o blog é aberto à todos que me acompanham? Meus pais, meu namorado, minhas vizinhas e meus chefes estão lendo, eu deveria falar sobre isso ou aquilo?

Sim, essa era uma questão que me assombrava em assuntos muito pessoais como a Depressão e as bads, me preocupava com meus textos autorais que muitas vezes são pura viagem, e também com a repercussão das coisas “fúteis” que quero abordar em um mundo já tão líquido. Passei por uma fase em que publicava menos e cuidava de cada palavra, acento e vírgula. Eu sempre odiei revisar texto. Escrever e ler em seguida faz com que eu me questione muito sobre a real necessidade de escrever. Texto revisado = texto deletado.

Mas, de que adianta ter um blog pessoal se não puder ser pessoal?

Não criei o blog como ferramenta de trabalho, criei pelo hobby de escrever e compartilhar o que eu gosto e quem eu sou, e esse é meu melhor espaço para me expressar na minha melhor forma: em palavras. E ouvir que você lê o blog, ou leu em alguma parte da vida, e gostou ou não, me deixa feliz! Afinal, eu escrevo e publico para que possam ler. 😊

Fico imensamente feliz que as pessoas conheçam o blog, saibam que eu escrevo, e fico lisonjeada em saber que tiram um tempo para ler o que escrevo aqui – obrigada! ❤ Sou grata por perceber que essa é a minha essência, o blog é sobre mim e sobre você, é para que a gente se identifique e compartilhe.

2 comentários

  1. Pode falar que não empresta seu fone, não tem problema haha
    Parabéns pelo texto, sensacional!

    1. Estranho é nunca ninguém ter pedido emprestado! haha!
      Muito obrigada Rod, por tudo sempre!

Deixe uma resposta