O lado bom da (minha) Depressão

(Antes de ler, saiba que escrevo sobre a minha experiência com a doença. Compartilho minha vivência buscando auxiliar pessoas a compreender e lidar melhor com a Depressão, portanto, nada aqui é simplesmente aplicável a outros casos da doença. Todo indivíduo é único e a sua depressão também.)

Muitas vezes tive dificuldade de fazer ou considerar na minha vida prática alguns valores nos quais acredito, um exemplo é que nada é apenas ruim, e isso serve para as coisas que achamos puramente ruins também.

“Enxergar a vida com olhos de amor”

Não conseguia ver qualquer coisa boa, dentro ou fora da doença, mas agora a lente cinza opaco está fora do meu campo de visão e tudo fica mais nítido e colorido. A pior e mais intensa fase já passou e eu me sinto dona dos meus pensamentos de novo – ou ao menos, na maior parte do tempo.

O que há de bom nessa doença tão terrível?

As promessas de amor tornaram-se reais

Em todos os momentos pude contar com aqueles que me amam de verdade, minha família e meu namorado tornaram-se porto seguro para mim e seguraram a minha barra. Estiveram ao meu lado, cuidaram de mim, me amaram quando eu não queria, estavam firmes quando eu me descontrolava, pacientes quando eu era insuportável, colocando limites quando necessário. Não é demais dizer que minha família me criou de novo.

O amor, o apoio, o respeito, são indispensáveis para qualquer melhora, para a luta, para continuar.

E eu sei que não foi nada fácil: é preciso amar de verdade, apoiar mesmo quando não concorda, respeitar os sentimentos e tentar entender o que muitas vezes não faz sentido, sentar ao lado e ouvir o silêncio ou discernir que a falta de educação não é intencional.

O auto conhecimento

Tempo para pensar. Tudo é pensado queira você ou não, mas não sob uma perspectiva legal. Com o tempo, e com a terapia, – eu faço terapia semanalmente – você consegui “limpar” um pouco a lente cinza opaca e entender um pouco mais a vida e a mim mesma. A evolução pessoal nessa fase é inigualável a qualquer outro momento da minha vida. Um ponto muito importante é que a Depressão no meu caso veio por muita coisa que juntei pela vida a fora, então, sentar e falar sobre a vida, sobre mim nas sessões de terapia tornou-se tratamento e também ajudou a definir o que estava perdido há tempos, assim o que descobri de mim é inestimável.

Hoje eu sei melhor sobre o que gosto ou não, compreendo melhor meu próprio comportamento e sei que muito em mim não pode ser mudado é minha personalidade e preciso lembrar-me de esforçar-me quando preciso, mas não mudar-me para agradar aos outros. Descobri justamente que essa vontade de agradar, fazer o outro feliz não me faz feliz. E o que parecia altruísta era, para mim, destrutivo.

Buscar a Deus

Sou católica desde a infância, mas a verdade é que minha religião era mais relacionada à família do que a fé. Na adolescência me afastei muito da Igreja. Para muitos que não compreendem a Depressão é só falta de Deus (ou de serviço), e inicialmente eu não queria voltar muito à Igreja por isso. Bom, mas eu voltei – agora pra ficar – e esse reencontro tem sido incrível, maravilhoso, e me faltam palavras para descrever. A fé, a espiritualidade faz diferença sim, ajuda a encontrar um rumo, acreditar no amanhã e na melhora.

A superação

Não estou curada da Depressão, acredito que exista sim a cura da doença, mas não é algo que os remédios e um tempo de terapia alcançam porque para mim foi preciso lidar com o passado e agora lidar com o presente e reconstruir-me para o futuro. Sim, os medicamentos e a terapia fazem muitíssima diferença, inclusive a terapia, foi a partir das sessões que consegui sair do pior momento, superar as recaídas, acordar sentindo-me bem, fazer planos e retomar o controle, é o que há de melhor.

Viu? Existe sim um lado bom em tudo, realmente tudo, mas muitas vezes precisamos de tempo para perceber isso – com a Depressão ou não.

Você já viu o que há de bom com você hoje?

2 comentários

  1. Oi Jéssica, tudo bem?
    As pessoas julgam de mais essa doença, mas só quem passa pela situação, ou tem alguém que passa por isso sabem o quanto é difícil e o quanto o apoio é indispensável. Espero que a cada dia Deus possa ir te curando, e que nos momentos mais difíceis você possa sentir sempre a presença Dele ao seu lado.
    Minha mãe também teve depressão e passou por momentos muito complicados, hj ela está em um momento de “desmame” dos medicamentos, mas tenho fé de que ela já esta curando, e com fé em Deus você também flor.
    Um abraço bem apertado.
    Amanda Almeida

    1. Amanda, o que dizer sobre um comentário tão lindo?!
      Agradeço por tudo!
      E anseio que Ele esteja sempre ao seu lado também mantendo em você essa bondade e empatia pelos outros.
      Muiiitos abraços!

Deixe uma resposta