O que tá acontecendo com a minha vida?

Todo mundo tem uma pergunta recorrente na vida, essa é a minha, ao menos três vezes ao dia.

Sim, penso sobre isso mais do que o recomendado, mas sou dessas! Tenho uma pergunta existencial para cada fase da vida: já quis muito saber quem sou e talvez ainda queira; no fim do ensino médio veio a péssima fase de descobrir o que eu quero pra minha vida. Se essas perguntas estão respondidas? Sim. Na maior parte do tempo, eu acho. Percebe, a segurança da pessoa na resposta e tire suas próprias conclusões! 😀

O que realmente interessa… Se você veio ler minha resposta da pergunta no título, pare de perder seu tempo e volte à programação normal da sua internet. Se você veio ver o quanto somos semelhantes ou não, pelo mesmo questionamento existir também na sua vida: parabéns! E obrigada!

Por que?

Primeiramente fora Temer (brincadeiriiinha! Ando meio aloka dos memes!) perguntas filosóficas assim nos abrem a mente para pensar sobre muita coisa em nossas vidas, nossas ações e anseios de uma maneira mais ampla, com uma abrangência que nunca antes consideramos. Bem, mas elas não abrem a mente com facilidade, elas abrem o crânio com uma faquinha de passar manteiga no pão! A coisa toda demora muito tempo! A primeira vez que você pensa em responder algo assim é como descrever-se em 140 caracteres: não existe miga! Não funciona! E se a pergunta continua ecoando na sua mente, você acaba descobrindo respostas e aí vem o segundo ponto…

… Você encontra resposta para outras perguntas, sim, aquelas que você ainda não tinha! Pensando sobre o que tá acontecendo com a minha vida eu percebi o quanto já mudei, as coisas que realmente quero, minhas prioridades e urgências e muitas outras coisas que não são resposta única para a pergunta inicial.

E não vai existir uma resposta única.

A vida é dinâmica e mutável, como uma cebola é cheia de camadas.

Ainda não compreendo algumas pessoas desejarem arduamente setorizar partes da vida: vida pessoal, trabalho, amor, amigos, estudos etc. É tudo a sua vida, e você não é uma pessoa para cada área da sua vida. Para a convivência é importante saber comportar-se de acordo com cada ocasião, e para isso nada melhor que ter consciência das infinitas possibilidades de desenvolver suas habilidades e competências pessoais. Eu sou formada por muitas, tenho em mim muita intensidade e busco onde cada versão de mim se encaixa melhor.

Equilibrar a vida é essencial para que nossas camadas fiquem alinhadas como uma cebola e não virar um alface largadão.

Ok, fora minhas péssimas analogias nesse pensamento expandido e publicado ao universo, se você também questiona o que tá acontecendo com a sua vida, saiba que me sinto grata por nos identificarmos nesse ponto, pois identificar-se com o outro, com as coisas, com sentimentos e sensações é um meio de ligar os pontos, conectar pessoas e encontrar respostas. Muitas respostas e perguntas vão esperar por você virando a esquina, no trabalho, na igreja, em lugares inimagináveis, mas as melhores surgirão da interação social e as melhores respostas vão surgir da interiorização, da conversa consigo mesmo, dos pensamentos que nos absorvem. Eu te peço, vá fundo! Permita-se ir cada vez mais fundo e deixe vir à superfície sua filosofia interna, seus valores e princípios, seus anseios e objetivos, mas não se esqueça: a vida é dinâmica e mutável, mergulhe quantas vezes achar necessário.

Deixe uma resposta