Para não esquecer,

eu queria tanto você. Mas era tanto, tanto e com todas as minhas forças e vontades que eu esqueci das outras coisas que também devia querer: eu mesma, uma profissão, uma carreira, amigos, diversão, uma vida. Mas eu estava perdendo tempo querendo só você, como se eu fosse ‘ser você’ também.

E eu espero que daqui pra frente eu queria menos você, menos a cada dia. Para que chegue logo o dia em que você não seja nada além de uma memória guardada com carinho, não por quem você foi ou pelo que representou na minha vida, mas por ser uma lembrança de um tempo meu, de como eu já fui.

Deixe uma resposta