Permita-se

Não sei porque o mundo não firma mais compromissos. Ninguém se permite criar laços de amizade verdadeira, quem dirá de amor. Procuram relações simples, coleguismo, companhias para certas atividades, estranhos para conversas baratas, amizades de aluguel, amores de uma noite, uma semana, paixões de um final de semana, de uma festa, de momento. Tudo por um momento.

Mas, de repente, até essas pessoas com conceitos momentâneos resolvem parar – não sempre, mas vez ou outra param. E querem amizades reais, relacionamentos reais, daí esbarram em pessoas que são como elas: de momento. E aí vem sofrimentos, tristezas e agonias, que sei lá, poderiam ser evitadas se não deixássemos que qualquer vontade fosse mais importante do que os próprios princípios. Vale a pena ser mais humano, e confiar, se deixar levar.

Se houvesse mais sinceridade, haveria confiança para se entregar, firmar compromissos e deixar a felicidade chegar.

Deixe uma resposta