Sobre lidar com as mágoas

Muitas coisas permanecem, infelizmente, nem todas são positivas. As mágoas são o maior exemplo disso.

O que nos resta para continuar vivendo e o mais importante, ter qualidade de vida, é a boa vontade para lutar contra e remover as mágoas. Deixá-las junto aos maus momentos que as trouxeram. Não aceitar que o mal faça parte, simplesmente, não aceitar o que é mau. E isso não é fácil, as mágoas se parecem com as águas de um moinho, elas passam e voltam, de uma maneira cíclica. As vezes vem dizer um “oi! Ainda estou aqui! Não, você não me apagou completamente! Lembra do dia que fulano te fez aquilo? Pois é! Olha lá, você sendo trouxa outra vez!”

As mágoas tem reloginho acertado e data marcada no calendário para retornar, no meio de um grande turbilhão – inclusive, são amigas da raiva, o melhor gatilho para trazê-las à tona. Sempre sabem quando aparecer.

E infelizmente, saiba: elas vão continuar a aparecer. Enquanto você não sentir-se bem para dar um basta.

Hoje eu quero dar um basta. Quero verdadeiramente negar o mal que tentam me impor e devolver apenas com o que de bom eu tenho. Talvez por isso seja tão difícil impedir as mágoas de permanecerem: não queremos devolver o bem àquele que só nos faz o mal. Consegue se imaginar presenteando um assaltante? Nem eu. Mas também não consigo me imaginar ajudando alguém a implantar uma bomba dentro de mim. A mágoa que deixamos permanecer só destrói aquele em que faz morada. Em mim, não há mais convite ou liberdade para o mal fazer morada.

Aquilo que é ruim virá, tentará, me entristecerá e a raiva pode se apossar de mim, mas tudo isso vai levar um momento. A tempestade poderá durar uma noite, pela manhã virá a bonança. O dia seguinte sempre nascerá, minha vontade de lutar irá permanecer e se fortalecerá dia após dia.

Deixe uma resposta