Um apego (desapegado, juro!)

Eu amo ler.
Não costumo ler qualquer coisa, admito.

Gosto de ler para sonhar, viajar, ver outras vidas, outras possibilidades. Sou apaixonada por romances, e de certa forma, eu gosto mesmo é de ficção. Bom, se houver alguma atenção especial para relacionamentos eu já gosto mais, me apaixono junto (haha!). Mas eu acho que já falei sobre isso rs.
Não tenho lido muito, tenho vários livros ali, esperando, esperando, esperando e empoeirando na estante, mas não simplesmente porque não quero: falta tempo também.
Também porque eu não quero.
Eu não quero ler, entrar em uma história em outra vida e sonhar e depois voltar pra minha haha! Ok, drama existencial agora, passou. Mas tô assim, e enrolando descaradamente muitas leituras.
Maaaaas, aí apareceu um livro.
Foi meu primeiro ebook. (Sim, tem hófen, é e-book, mas eu acho palavras com hífen bem ridículas, e ah, você sabe exatamente do que estou falando, então me deixe com a minha estética!).
Eu li, em poucos dias, e tentei ir devagar a partir do segundo capítulo: apenas 175 páginas.
Ok, não adiantou.
Primeiro porque eu não resistia a leitura.
Segundo porque uma hora ia acabar, eu já sabia disso.
E agora acabou.
Ah meu Deus, acabou!
tipo THE END sabe?!
Sério, tô arrasada.
Eu me identifiquei tanto, tanto, tanto, tanto! Parece que ela escreveu o livro sobre o que eu tenho vivido e acrescentou coisas que eu gostaria rs. Maravilhoso, encantador, perfeito do começo ao fim.
Me senti bem com a leitura como se houvesse alguém simplesmente compartilhando da minha vida, e vivesse comigo, mais que me apoiando e ouvindo, mas vivendo de verdade: as dores, indecisões, tudo.
E eu nunca aprendi tanto em 175 páginas.
Mesmo.
Me desculpe Nicholas, mas parece que há uma menina, uma mulher de 23 anos, mineira como eu que consegue ir além de você, consegue chegar aqui. Claro, faço questão de um post apenas para recomendar o livro dela a você. E faço questão de comprar além do ebook o livro físico também (até porque eu preciso haha!).
Obrigada Isabela Freitas, de verdade.
Existem coisas que queremos, queremos muito e outras das quais nós simplesmente precisamos. Eu precisava das suas 175 páginas. E hoje eu quero mais. Eu me quero, mais.
 

Deixe uma resposta